Para estudantes que querem deixar de ser medíocres

Nós não gostamos de pensar sobre os nossos erros.

Nós não gostamos de falar sobre eles.

E certamente não gostamos que ninguém os aponte.

Este é um clássico sinal da mediocridade. Ela é o pior inimigo do nosso sucesso nos estudos.

Mas não é fácil colocar o dedo nessa ferida. Você tem que ter coragem para reconhecer a própria mediocridade.

Como no meu caso, percebi que muita gente tem dificuldade para enxergar e vencer a mediocridade nos estudos por dois motivos.

Por que é tão difícil se livrar da mediocridade nos estudos?

mediocre-nos-estudos

Primeiro, quem foi educado durante vários anos a estudar de forma medíocre desenvolve a confortável ilusão de que tudo está “bem”. A pessoa se compara com os que estão no mesmo nível que o dela ou com os piores.

Nesse ponto a mediocridade é fatal; porque ela te faz pensar como a maioria das pessoas pensa. Você acaba seguindo a boiada. Fazendo o que a maioria das pessoas faz.

Desse jeito, sua imaginação e criatividade não se desenvolvem. É como viver dentro de uma bolha.

Segundo, a pessoa não está iludida, ela reconhece o problema, mas não sabe como reunir forças para fazer mais do que o arroz com feijão nos estudos.

O que eu fiz?

A partir dessa profunda reflexão, decidi sair do poço da mediocridade.

Durante a subida cometi erros e retornei em queda livre ao fundo várias vezes; mas me ajudaram a encontrar os pontos de apoio mais resistentes.

Por isso, erros como esses são os melhores mestres.

Contudo, quem não sabe lidar bem com eles pode ver seus sonhos destruídos; da mesma forma que um erro fatal na construção de um prédio coloca tudo abaixo, sem deixar pedra sobre pedra.

Os três erros graves que tornam o estudo medíocre

Eu vou mostrar para você quais são esses erros e como evitá-los.

Mas antes preciso que você saiba que serei totalmente sincero ao falar disso, pois o objetivo é abrir os seus olhos para um mundo de ganhos que pode ser seu.

A grande maioria das pessoas não possui o hábito de estudar um assunto a fundo com ambição de se tornar cada vez mais inteligente, criativo e culto.

A grande questão…

Quando o assunto é aprender, tudo o que se espera é que a pessoa tenha um mínimo de conhecimento sobre como estudar melhor.

Algo que é relativamente fácil de alcançar, mas que não cai do céu.

Aprender de maneira profunda e efetiva é possível; até para aqueles que odeiam estudar ou têm trauma de alguma matéria — alguém falou… matemática!

Acredito que ninguém escolhe ser medíocre nos estudos. Lá no fundo, toda pessoa quer triunfar e ser reconhecida pelo seu esforço e talento.

Portanto, continue lendo para você saber quais são esses erros e como evitá-los.

1. Estude sempre na hora errada

mediocre-nos-estudos-02

Alunos medíocres são verdadeiros mestres na arte de empurrar com a barriga qualquer tarefa.

Sabem como ninguém inventar coisas para fazer, mesmo sem graça, em vez de estudar enquanto têm tempo.

Por vários anos fiz desse erro um amigo inseparável nos estudos.

Utilizava-o muito bem, tinha um talento incrível para a coisa.

Procrastinar nos estudos era comigo!

Logo, sei do que estou falando.

Deixar para estudar tudo de última hora é tapar o sol com a peneira!

Ao estudar de última hora, você procura gravar as coisas pelo esforço intenso e desordenado imediatamente antes da prova.

Quando você “aprende” desse jeito, seu cérebro forma poucas associações neurais e toda a informação desaparece como fumaça.

Desse modo, cada vez que você precisar das mesmas informações, terá que tomar um chá de cadeira para estudar tudo de novo.

E o que fazer então?

Estude todos os dias!

Se você estuda a mesma coisa em dias diferentes — com revisões, testes, etc. — a informação fica bem fixada na estrutura mental; prolongando assim sua memória.

Logo, para ficar acima da média, estude todos os dias um pouco.

“Deus prometeu perdão pelo seu arrependimento, mas Ele não prometeu o amanhã pela sua protelação.” ~ Santo Agostinho

2. Tenha mentalidade estreita

mediocre-nos-estudos-03

Todo nós somos inclinados a nos dedicar mais àquilo de que mais gostamos; e deixar de lado aquilo em que temos mais dificuldade.

No entanto, ao fazer a balança pender demais para um lado caímos em uma…

Armadilha!

Um viajante erudito atravessava de barco um rio e, conversando com o barqueiro, perguntou:

— Diga-me uma coisa: você sabe botânica?

O barqueiro olhou para o viajante e respondeu:

— Não muito, senhor. Não sei que história é essa…

— Você não sabe botânica, a ciência que estuda as plantas? Que pena! Você perdeu parte de sua vida !

O barqueiro continua remando. Pergunta novamente o erudito:

— Diga-me uma coisa: você sabe astronomia?

O coitado do caiçara barqueiro, analfabeto, balançou a cabeça e disse :

— Não senhor, não sei o que é astronomia.

— Astronomia é a ciência que estuda os astros, o espaço, as estrelas. Que pena! Você perdeu parte da sua vida.

E assim foi perguntando a respeito de cada ciência: astrologia, física, química, e de nada o barqueiro sabia.

E o erudito sempre terminava com seu refrão: “Que pena! Você perdeu parte da sua vida…”.

De repente, o barco bateu contra uma pedra, rompeu-se e começou a afundar…

E o barqueiro perguntou ao viajante:

— O senhor sabe nadar?

— Não, não sei.

— Que pena, o senhor perdeu toda a sua vida!!

Creio que muitos de nós, em alguns momentos, já nos sentimos como o viajante erudito, não é? Cada um tende a puxar a sardinha para o seu lado.

Em consequência, se não tomar cuidado, quem segue essa tendência nos estudos, poderá limitar suas possibilidades e se fechar para novas oportunidades.

Mais um exemplo…

As frases medíocres!

Uma pessoa age com mediocridade e ignorância quando sabe da importância de um assunto e mesmo assim continua a desprezá-lo.

Ao ouvir frases do tipo:

  • “Eu não preciso saber matemática: minha área é humanas!”
  • “Ainda bem que não preciso aprender essa matéria no meu curso!”
  • “Não gosto desse assunto, prefiro não me envolver com essas questões!”
  • “Que perda de tempo ficar lendo literatura, ainda bem que não preciso disso, afinal sou da área de exatas!”

Saiba que são pessoas que tomaram para si essa mentalidade estreita.

Não faça isso com sua inteligência!

“Não vá só pelo gosto… Pare com esse negócio! Se você vai só pelo que você gosta, você vai gostar sempre da mesma coisa e vai entrar no repetitivo. Não se trata do gostar, mas do absorver e do compreender.” ~ Olavo de Carvalho

3. Seja só mais um aluno

mediocre-nos-estudos-04

Imagine uma sala de aula cheia de pessoas. O professor, com todo gás, explica a matéria.

Para ensinar, desenvolve uma série de raciocínios e diversas sinapses mentais são criadas.

O professor está ativo. E as outras pessoas, como estão?

Os demais estão sentados passivamente — apenas ouvem, veem e pouco fazem.

Você acaba de imaginar uma típica cena do cotidiano escolar, onde assistir aula é muitas vezes um ato passivo, diferente de estudar…

Estudar é um ato solitário e ativo. É como respirar, ninguém pode fazer isso por você.

Portanto…

Ou você é aluno ou é estudante!

Algumas características do aluno:

  • Frequenta as aulas; faz alguns exercícios, mas só em aula; de vez em quando tira alguma dúvida.
  • Costuma estudar para as provas feito um louco… na véspera.
  • Mira baixo, se já deu para passar de ano ou pegar o diploma, está muito bom!

Algumas características do estudante:

  • Tem uma postura ativa em todo o processo de aprendizagem; vai além da sala de aula; pesquisa, procura mais informações em outros lugares.
  • É autodidata.
  • Dedica-se a estudar bem todos os dias.
  • Sabe que a preparação é o segredo do sucesso, por isso ele nunca para de aprender com organização e produtividade.

“Aluno é quem assiste aulas, estudante é quem estuda” ~ Prof. Pierluigi Piazzi

… Bom, agora que você já sabe quais são os três erros principais, tenho uma pergunta para finalizar.

Você está REALMENTE interessado em ficar acima da média? Ou você é do tipo “deixa a vida me levar”?

4 Comentários

    1. Thieres Machado

      Espero que tenha te ajudado, Ester. Seja bem-vida e obrigado por comentar. Abraço

      Responder
  1. Avatar

    Enquanto eu estudo, ELES brincam,e me condenam
    E quando eu tiro nota alta, me julgam, e dizem que foi SORTE ,
    Aliás, que sorte eu tenho!!! kkkk

    Responder
    1. Eu Sei Aprender

      Oi Caio,
      é bem assim mesmo. São raras as pessoas que conseguem enxergar o esforço que está “atrás” dessa suposta sorte. Muitas pessoas acham que sucesso ocorre por acaso (sorte), mas nós sabemos que não é bem assim. Que você alcance todos os seus sonhos, meu amigo. Tudo de bom!

      Responder

Olá! O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *