Hábitos de estudo: aprenda TODOS os dias com ou sem vontade!

Bons hábitos de estudo podem ser a diferença entre o fracasso e o sucesso.

O maior problema é manter o corpo e a mente fechados para as tentações que nos levam aos maus hábitos.

Se você já tentou mudar algum hábito sabe que é uma pedreira…

Você faz várias promessas e acaba não dando muito certo.

Às vezes você tem a sensação de estar com as mãos atadas, algo impede sua ação.

Pois é… todo mundo, mais cedo ou mais tarde, descobre a dura realidade de que não somos tão senhores da própria vontade quanto pensamos.

Nesse momento, muitos desistem da mudança e abandonam as ideias, os projetos, os sonhos…

O perigo desse tipo de conduta está na quantidade de vezes que se repete.

Se a cada nova tentativa a pessoa desiste, é provável que o fracasso vire um vício.

Então…

Como quebrar esse ciclo vicioso?

habitos-de-estudo-04

Primeiro, acredite, assim como fracassar, vencer os obstáculos e manter-se firme nos estudos aprendendo cada vez mais é um hábito que está ao alcance de QUALQUER um.

Se você observar com atenção, vai notar que cultiva certos hábitos de estudo desde os seus primeiros anos de escola.

(Por exemplo, fazer tarefas só na véspera da entrega. Aliás, neste artigo aqui ensino meu truque especial para evitar a procrastinação.)

E você está de tal maneira acostumado com eles que faz certas coisas sem perceber, você age no “piloto automático”.

Mas podemos expandir esse raciocínio para as diversas áreas da nossa vida, certo?

Deixe-me explicar…

Nossa vida cotidiana é formada por uma série de ações que naturalmente realizamos:

como se espreguiçar ao acordar, amarrar os sapatos, lavar as mãos, tomar banho, seguir pelo mesmo caminho para trabalhar todos os dias…

Se você anotar tudo o que faz durante um dia, ficará surpreso com a quantidade de ações que você toma sem precisar pensar muito sobre antes de agir.

(Faça isso, é um ótimo exercício.)

Por exemplo, a maioria das pessoas toma banho todos os dias. (Ainda bem, não é mesmo?)

No entanto, não nascemos com o hábito de tomar banho todos os dias. Muito menos ainda hábitos de estudos.

Nem mesmo nascemos com tal instinto.

Então como os hábitos são formados na nossa mente?

Paradigmas e os hábitos de estudo

Se você acredita que criou seus próprios hábitos lamento desapontá-lo.

Mas a maioria de nós não criou muita coisa, conforme apontam pesquisas neurológicas.

Tudo começa na gestação.

Somos programados pelo código genético que herdamos de nossos pais e antepassados; pelo ambiente, bem como pelas crenças das pessoas que nos transmitem conhecimento.

(Veja o problema de ficar adiando o estudo. Muita gente faz isso. São poucos que sabem como se livrar do vício da procrastinação.)

Durante esse processo, nosso subconsciente guarda todos os ensinamentos, formando o que chamamos de paradigma.

Você pode comparar um paradigma com um software instalado no seu subconsciente.

Todas as sugestões ou ideias que você foi exposto repetidas vezes quando criança — ou mesmo adulto — fazem parte do seu paradigma e tornam-se hábitos após serem fixadas na mente.

Além do mais, os pensamentos da nossa mente consciente estão intimamente relacionados ao paradigma, por isso, ele “controla” vários aspectos da nossa vida.

E muito mais…

Segundo pesquisadores, estima-se que 40% das ações que as pessoas realizam por dia não são decisões reais, mas hábitos.

Ou seja…

É provável que você passe GRANDE parte do seu dia no piloto automático.

Desde o momento em que você acorda pela manhã até o momento de ir para a cama à noite, grande parte de toda a sua rotina é influenciada pelo seu paradigma.

Outra coisa…

Se durante os primeiros anos de vida, você foi orientado a acreditar em ideias, como:

  • “Não pode ficar mais inteligente do que já é”;
  • “Matemática é complicada de aprender, é só pra cabeçudo”;
  • “Eu nasci assim, eu cresci assim… Vou ser sempre assim”.

É certo que esses paradigmas — também conhecidos por crenças limitantes — irão moldar o seu pensamento e, consequentemente, suas atitudes.

Pois é o conteúdo da mente subconsciente que atua sobre o nosso comportamento e não a mente consciente, racional.

Dessa forma, mesmo que você saiba que é POSSÍVEL estudar todos os dias, seu subconsciente pode afirmar o contrário e criar barreiras para impedir qualquer ação.

Mas apesar de todo esse “poder” que os paradigmas exercem sobre nossas ações, aqui está a boa notícia…

Podemos QUEBRAR os velhos paradigmas e mudar hábitos de estudo.

… E como fazer isso?

Comece com um FORTE motivo para mudar seus hábitos de estudo

habitos-de-estudo-05

Infelizmente, todos nós de uma forma ou de outra desenvolvemos maus hábitos, pelo menos durante um certo tempo.

Seja comer demais alimentos nada saudáveis; passar muito tempo na frente da TV ou no celular; estudar somente na véspera da prova…

Por exemplo, eu tinha o péssimo hábito de roer as unhas. Começou na adolescência… e só consegui mudar quando adulto.

Eu ficava envergonhado quando olhava para os meus dedos com as unhas roídas, por isso decidi mudar.

Outro hábito lamentável…

De acordo com um artigo da Universidade de Warwick na Inglaterra, menos de 13% das pessoas que se matricularam em cursos online abertos assistem às aulas até o final.

Repare também as pessoas que pagam por cursos caros. Algumas chegam a gastar todo o dinheiro (e tempo) que possuem e por fim não colocam em prática nem a metade das orientações recebidas.

E como pode uma pessoa gastar todo o seu dinheiro em um curso e não colocar em prática os ensinamentos?

Ou ainda, de modo geral…

Como alguém que já identificou um hábito nocivo e portanto tem consciência de que sua vida pode estar em risco, não consegue mudá-lo de forma alguma?

“Ah, isso é fácil, tá faltando força de vontade”. Alguns podem responder.

A força de vontade é importante. É o combustível propulsor para mudar hábitos.

Quando vislumbramos que algo precisa ser feito, momento único para cada pessoa, e decidimos agir, ela serve como impulso inicial.

Até aqui tudo bem, mas…

O que dizer dos casos em que a pessoa começa a mudar hábitos, porém na primeira dificuldade desisti da mudança?

O que ocorreu com sua força de vontade?

O problema aqui é confiar demais na força de vontade, subestimando o poder dos paradigmas.

Apenas ter força de vontade NÃO é suficiente para mudar hábitos de estudo!

Veja…

Pense no bom hábito de escovar os dentes que realizamos todos os dias.

Não precisamos da força de vontade, certo?

Apenas fazemos, não nos damos o direito de optar, é fazer ou fazer.

Agora, imagine se para realizar uma simples tarefa, fosse necessário usar nossa força de vontade.

Com certeza nossos dias seriam extremamente cansativos, não é mesmo?

Ainda bem que nossa mente e o cérebro não funcionam dessa forma, porque é um mito acreditar que a força de vontade é um recurso infinito.

Alguns especialistas comparam a força de vontade como um músculo que pode ficar cansado após o seu uso excessivo.

E com a carência da força de vontade, acabamos por perder o autocontrole sobre nossas vontades.

Podemos ver evidências disso o tempo todo…

Uma pessoa decide aprender um novo idioma, o inglês.

Ela trabalha durante o dia e por isso, matriculou-se no curso à noite.

Os primeiros dias de aula são empolgantes, o professor é paciente e atencioso; a pessoa não falta aulas e estuda todos os dias.

Depois de três meses no curso, algo estranho acontece, alguma coisa a incomoda.

Obstáculos que antes não existiam, começam a aparecer.

(Salvo exceções, geralmente são desculpas esfarrapadas!)

O desânimo aumenta. Ausenta-se das aulas e do estudo com mais frequência…

Até que…

Desiste do curso!

Porque “não estava aprendendo muito bem e tem outras coisas para fazer” — ela justifica.

Pois bem… sabemos que para colher os frutos de um curso desse tipo, a dedicação é inevitável.

Todavia, nem todos os dias estamos dispostos a nos esforçar para aprender.

Fatores externos, como a correria do dia a dia, a preguiça ou crises emocionais intensas absorvem a nossa força de vontade.

Em razão disso, não podemos depender UNICAMENTE da força de vontade e nem ignorar o poder dos paradigmas que podem nos levar a autossabotagem.

Portanto, além de um propósito para mudar, você vai precisar de uma rotina…

A importância da rotina diária de estudos

Como vimos acima, a força de vontade é um recurso escasso, péssimo para  objetivos de longo prazo. Ela serve apenas como “empurrão” inicial.

O hábito, afirmam os cientistas, é uma maneira eficiente que nosso cérebro encontrou para “economizar” esforço.

Não é que você não vai mais precisar se esforçar, mas sua força de vontade ocorrerá sem que precise pensar nisso.

É como a decolagem de um avião, a fase do voo com maior consumo de combustível é a subida, pois a aeronave precisa de muita força para decolar e ganhar altitude.

O consumo de combustível chega a ser o dobro, se comparado ao voo de cruzeiro (quando o avião alcança a velocidade e altura ideais).

O hábito poupa energia liberando nossa mente para outras tarefas.

Logo, para você cumprir um objetivo de longo prazo, como é o caso de estudar e aprender, torna-se indispensável criar uma rotina diária de estudos.

 A força de vontade faz você começar, mas o hábito faz você continuar.

Ao consolidar uma rotina de estudos, obstáculos podem ser facilmente superados, pois agora você tem um processo automatizado.

Do contrário, qualquer situação desfavorável pode ser um obstáculo.

Por exemplo:

imagine que você quer estudar pela manhã. Para isso, você passará a acordar 1 hora mais cedo…

Mas um dia muito frio pode sim ser um obstáculo, porque ainda não é um hábito consolidado e requer a força de vontade para acontecer.

Até os três meses (mais ou menos) é possível que você disponha da sua força de vontade sem muitas restrições, mas e depois, um, dois ou mais anos…?

Muita coisa pode acontecer na sua vida e a depender desses fatos, a força de vontade pode colocar tudo por água abaixo.

Para não correr esse risco, o ideal é desenvolver o hábito de estudar TODOS os dias.

Sem os hábitos de estudo dificilmente a mudança permanente ocorrerá, porque ela é profunda e demorada como a construção de uma casa, acontece dia após dia e não apenas no final do processo.

Não se iluda, raramente, um hábito vai embora sem um árduo trabalho…

Como criamos hábitos de estudo?

habitos-de-estudo-06

Na escola eu tinha um grande problema: não conseguia sentar e estudar todos os dias.

A cada nota baixa, lamentava por não ter estudado com antecedência.

Por mais que tentasse, alguma coisa me impedia de pegar nos livros todos os dias.

Definitivamente eu não tinha hábitos de estudo sólidos.

E sei que muita gente também sofre com esse problema.

Como já mencionei, a pessoa até começa bem, mas pouco tempo depois tem alguma recaída e não consegue dar continuidade.

(Isso já aconteceu com você?)

Felizmente, hoje, tenho o hábito de estudar todo santo dia. E vou te mostrar como fazer isso melhor do que quando comecei.

Mas antes você precisa saber de uma coisa:

ainda que você tenha a impressão de que hábitos ruins são mais facilmente adquiridos, NÃO HÁ diferença nenhuma entre o processo de formação de um hábito, seja ele saudável ou nocivo.

No revelador livro “O Poder do Hábito”, o autor Charles Duhigg apresenta os resultados da sua fascinante pesquisa sobre a ciência da formação e transformação dos hábitos.

Dentre as muitas informações esclarecedoras descritas por Duhigg, podemos destacar com precioso valor as partes dos hábitos.

Os hábitos têm quatro partes:

1. A sugestão: é o gatilho que faz você entrar no modo piloto automático conforme a situação.

Pode ser qualquer coisa, como o sinal da escola (é hora do recreio ou terminou a aula!), ou o aroma de comida (é hora do almoço!).

2. A rotina: é o seu modo piloto automático — o hábito em si, a ação que o seu cérebro costuma executar quando ele recebe a sugestão.

As ações no modo piloto automático podem ser inofensivas, úteis ou em casos extremos, destrutivas.

3. A recompensa: aqui está a razão para um hábito se desenvolver e permanecer “vivo”, a gratificação imediata.

O hábito de adiar os estudos — procrastinar — é uma hábito fácil de desenvolver porque recebemos a recompensa rapidamente.

O que é mais agradável num curto período de tempo, estudar ou bater um papo com o amigo via mensagens no celular?

Com efeito, para evitar a procrastinação nos estudos é imprescindível encontrar formas de recompensar bons hábitos.

4. A crença: criamos e desenvolvemos hábitos porque acreditamos neles, é por isso que eles têm poder sobre nós.

Por exemplo, você pode sentir que nunca será capaz de ter disciplina nos estudos. Para mudar um hábito, você precisará mudar a crença por trás dele.

São as pequenas modificações que você faz nesses 4 aspectos do hábito que podem transformar sua vida, sobretudo, na rotina.

E por que você precisa concentrar mais a sua atenção na rotina?

Porque desse modo você usa a força de vontade o menos possível, certo?

Ao identificar a rotina, você deve usar a sua força de vontade para mudar sua reação à sugestão. Essa etapa é a única em que você usa a força de vontade.

Imagine que…

Ao invés de estudar, muitas vezes você muda sua atenção para algo menos penoso, como navegar pela internet.

No instante em que você recebeu a sugestão, seu cérebro deseja entrar nessa rotina…

Então esse é o ponto crítico onde você deve usar sua força de vontade para mudar.

A sugestão e a recompensa — para alguns hábitos — podem permanecer inalteradas, mesmo que a rotina mude.

No entanto, desenvolver novos gatilhos e recompensas será de grande utilidade para dominar seus hábitos.

Além do mais, toda mudança de hábito depende da crença de que você pode fazê-la; confiar que sua nova forma de agir funciona é obrigatório para criar hábitos de estudo.

Por isso é tão importante conhecer em detalhes os 4 elementos da formação de um hábito.

  • Qual é a sugestão que dispara o gatilho do seu hábito?
  • O que você faz (ou pensa) após a sugestão? (rotina)
  • O que você tanto deseja? (recompensa)
  • Por que você acredita nesse hábito? (crença por trás)

Tenha consciência do momento exato em que você está mergulhando no mesmo tipo de atitude (ou pensamento) e anote.

Ao identificar esses momentos, você tem a possibilidade de criar um plano eficiente para mudar hábitos de estudo.

Como mudar hábitos de estudo

habitos-de-estudo-02

Uma vez que você está ciente de qualquer mau hábito de estudo que o está prejudicando, você pode mudá-lo.

Mas como vimos, um hábito vai além do que nossos olhos enxergam nas ações que praticamos diariamente.

Ter consciência da rotina é somente uma parte da mudança, a outra, é reconhecer a crença que está na raiz do hábito.

E mais…

A quebra de paradigma não acontece do dia para a noite.

Imagine que você está pilotando uma lancha, mar à frente, e de repente você decide mudar o rumo, virar à esquerda. Você gira o leme e… pronto, a lancha muda a trajetória imediatamente.

Agora imagine que você está pilotando um navio transatlântico, mar à frente, e de repente você decide mudar o rumo, virar à esquerda. Você gira o leme e…

O transatlântico não muda a trajetória na hora, demora um bom tempo para isso ocorrer.

Mudar um paradigma é como a mudança de rumo do transatlântico. Por ser uma mudança num padrão de comportamento, os efeitos demoram aparecer.

Por outro lado, se você deixa para estudar na véspera de uma prova ou evita comer demais, essas são ações com efeitos IMEDIATOS — como a mudança de rumo da lancha.

Logo… para mudar suas crenças limitantes há duas coisas a fazer.

A primeira é dar-se conta da diferença entre a ação e o padrão de comportamento (lancha e transatlântico).

A segunda coisa é reprogramar sua rotina com ações até que se torne um novo hábito.

Todos os dias você pode EFETUAR e ACUMULAR pequenas atitudes que aos poucos quebrem padrões antigos e introduzem um novo paradigma.

Uma simples e eficiente maneira para a reprogramação funcionar bem é ter um plano que sirva como um ritual.

Por exemplo, meu plano (ritual) para estudar é fazer isso em um local tranquilo — em casa, estudo na biblioteca.

Meu corpo, minha mente estão habituados a esse ritual de tal modo que, quando caminho para a biblioteca, o gatilho do piloto automático para estudar dispara sem hesitação.

Outros alunos, quando vão para as aulas, têm por hábito deixar o smartphone no carro, isso remove uma impetuosa distração.

Também seja flexível…

Como quase tudo na vida apresenta falhas, seu plano corre esse risco, mas não o abandone se no início as coisas não saírem perfeitamente.

FAÇA os ajustes necessários e comemore quando funcionar…

Nesse sentido, apresento a você algumas orientações que uso como guia para me auxiliar na mudança de hábitos ruins.

O guia passo a passo para mudar seus hábitos de estudo

Lembre-se: não haverá mudança verdadeira na sua vida até que o seu modo de pensar seja alterado.

1. Pense nos seus hábitos de estudo e responda algumas perguntas.

  • Quais hábitos você tem?
  • Você está satisfeito com o seu modo de estudar?
  • E os resultados, são bons?
  • Você sempre estudou do mesmo jeito, mas não está feliz com os resultados? Se sim, é hora de mudar seus hábitos de estudo.

2. NÃO TENTE ACABAR com um hábito ruim.

Você precisa substituí-lo por outro. Estudos mostram que dizer, “Nunca mais faço isso” torna ainda mais provável que você volte a fazer.

 “Um hábito é vencido por outro hábito.” ~ Tomás de Kempis

3. Mude um ÚNICO hábito por vez.

Lembre-se que sua força de vontade é limitada e no início, você precisará muito dela.

Esse é o segredo para a mudança duradoura… corrigir UMA COISA DE CADA VEZ.

Em geral, pense na mudança como um projeto que leva tempo. Separe uns 30 dias para fazer isso e só depois comece com outro hábito.

4. Escreva a respeito do seu mau hábito.

Identifique a sugestão, a rotina, a recompensa e a crença. Em seguida, escreva sobre o hábito que vai substituí-lo.

Você precisa saber com “o que” está lidando e com “o que” vai fazer em vez disso.

5. Determine uma data para começar sua nova rotina.

Sem o MÍNIMO de organização, você não chegará a lugar algum.

6. Vá com calma…

E prepare seu plano com cuidado antes de iniciar.

7. Nem tudo sai como planejado.

Não há problema tropeçar eventualmente, velhos hábitos voltam a nos assombrar de tempos em tempos; por isso trate seu fracasso como um breve descuido, e não como motivo para desistir de tudo.

8. Comece com uma rotina simples.

Por exemplo, se quiser estudar mais tempo, comece com meia hora e vá aumentando devagar…

9. Deu vontade de desistir?

Pedir ajuda pode facilitar o processo. Pessoas de confiança podem mantê-lo motivado quando a força de vontade enfraquecer.

Você também deve encontrar uma forma rápida, fácil e confiável de motivar a si mesmo.

Ah, não há vergonha nenhuma em pedir ajuda, ok? Pelo contrário, é sinal de humildade e coragem.

10. Cuidado com sabotadores.

É comum aparecer pessoas que podem prejudicar seu plano com comentários tóxicos, como aquelas pessoas que dizem “isso não vai dar certo”, “melhor nem tentar” ou “você não tem mais vida social”…

Quando não puder evitar essas pessoas, procure aprender a conviver com elas sem deixar que afetem sua rotina.

11. Recompense suas vitórias.

A recompensa ajuda na reprogramação cerebral para a criação de novos hábitos, mas cuidado com excessos que podem arruinar todo seu avanço.

12. Evite as tentações que servem de sugestão para os velhos hábitos.

Por exemplo, você sabe que se sentar no sofá acaba passando muito tempo na internet. Então passe a sentar no sofá para ler um livro.

13. Priorize.

Se você não priorizar, sempre vai aparecer uma desculpa para não fazer.

Mesmo naquele dia muito complicado que você sabe que será impossível estudar conforme o programado, não deixe passar em branco.

Faça um ESFORÇO para estudar pelo menos um pouco, isso ajuda internalizar o hábito de estudar todos os dias.

Para fechar este tópico…

Quero mencionar o efeito da religião e da fé sobre o processo de mudar hábitos de estudo — no meu caso.

Mas antes preciso mencionar meu respeito aos ateus, agnósticos, céticos e humanistas seculares.

Sem dúvida, este artigo tem muita coisa útil para qualquer pessoa e suas crenças.

Porém, não se pode negar que uma enorme quantidade de pessoas é teísta e segue alguma religião.

E como acredito em Deus, afirmo que não mudei qualquer hábito ruim sozinho; Deus me ajudou muito, muito mesmo.

Rezo a Deus pedindo por força e inteligência para superar os desafios…

Logo, como isso funciona para mim e sei que funciona para outras pessoas, sinto-me à vontade para sugerir — caso você acredite em Deus — que aproveite e peça Sua ajuda para mudar qualquer hábito.

Deus sempre está presente e pronto para ajudar, contudo, Ele espera que você faça a sua parte com atitudes, esforço e paciência…

Aprimore sua aprendizagem cultivando crenças e hábitos de estudo de estudantes bem-sucedidos

habitos-de-estudo-01

Depois de tanto persistir, consegui ter disciplina nos estudos.

Contudo eu não podia negar uma coisa: não sabia como estudar!

A qualidade do meu estudo era baixa.

Faltava-me a consciência do estudante bem-sucedido…

Estudar para extrair o máximo do assunto, aprender com excelência e elevar o conhecimento da mente.

Afinal de contas, estudar é questão de QUALIDADE e não de quantidade.

(Tenha isso SEMPRE em mente!)

Bom…

Nos últimos anos adicionei ao meu sistema de estudo diversas crenças e hábitos de sucesso que estudantes bem-sucedidos têm em comum que tornaram a minha aprendizagem MELHOR.

E vou compartilhar com você…

Uma lista com as crenças e hábitos que estudantes bem-sucedidos utilizam como pilares e propulsores para o alto desempenho em qualquer assunto.

Estudantes bem-sucedidos…

  1. Têm o hábito de estudar mais tempo sozinho, pois sabem que o tempo de estudo individual é o momento em que se aprende de verdade, por isso é mais relevante do que aquele que se passa assistindo às aulas.
  2. Sabem que paixão e persistência são mais importantes para atingir o objetivo.
  3. Sabem que o hábito da procrastinação é a morte do sucesso.
  4. Sabem que a preparação adequada é o segredo para grandes conquistas.
  5. Se concentram no processo, não na realização da tarefa; por isso estudam todo dia um pouco.
  6. Acreditam que podem melhorar sempre, mesmo em assuntos que têm grande dificuldade.
  7. Acreditam que a fé, e a confiança em si são indispensáveis para encontrar e permanecer no caminho que você deseja.
  8. Têm uma estrutura para gerenciar o tempo, como lembretes e um calendário que ajuda a evitar imprevistos.
  9. Aceitam os desafios da vida com seriedade porque enxergam em cada um, uma nova oportunidade de superação.
  10. São descobridores de soluções. Perseveram e acreditam que podem resolver seus problemas, mas têm humildade para pedir ajuda quando necessário.
  11. Têm o hábito da leitura além da obrigação escolar/profissional; pois, sabem que a prática diária da leitura proporciona benefícios inestimáveis.
  12. Trabalham ativamente para construir relacionamentos saudáveis com outras pessoas, como professores e outros membros da escola ou faculdade.
  13. Reservam tempo para cuidar da saúde; fazem exercícios físicos, refeições saudáveis, dormem o suficiente por cada noite, relaxam e se divertem.
  14. Colocam suas ideias em prática, mesmo não se sentindo completamente prontos para isso. Com prudência e a crença de que o fracasso é o melhor professor, eles não esperam o momento perfeito para agir.
  15. Procuram dominar completamente seu aprendizado e sua motivação, traçando estratégias de estudo para aprender e não apenas para passar na prova.

Como você pode perceber, essas crenças e hábitos podem ser usados por qualquer pessoa.

Provando que o sucesso nos estudos não depende de inteligência e nem de maiores privilégios para virar realidade, mas sim de hábitos CERTOS.

Logo…

O melhor momento para mudar seus hábitos de estudo é AGORA!

Embora possa demorar 18 dias, 254 ou algo entre esses valores… é possível mudar hábitos.

Quanto MAIS você repete seus hábitos de estudo, mais cedo eles se tornam instintivos ou automáticos.

Seja qual for o seu objetivo, dentro de você deve haver uma RAZÃO IMPORTANTE que proporcione um benefício a longo prazo melhor do que o conforto a curto prazo.

Também considere, o tempo, a consistência, a paixão e o esforço consciente como órgãos vitais para VOCÊ chegar ao fim de cada jornada…

… Pronto para começar a MUDAR seus hábitos de estudo?

10 Comentários

  1. Avatar

    Palavras ótimas para seguirmos!
    Obrigado por este artigo de qualidade.
    Bom saber que usou a sua Fé do melhor jeito.
    Continue com esta ligação a Deus que vão aumentar ainda mais, do modo necessário, as suas instruções para a verdadeira e melhor caminhada que estará sujeito.

    Responder
    1. Eu Sei Aprender

      Oi Tiago, tudo na paz?

      Primeiro, muito obrigado pela visita e comentário. Sem fé não dá, não é?

      Valeu pela força e vamos em frente.

      Forte abraço!

      Responder
  2. Avatar

    Parabéns pelo trabalho. E o destaque de positividade sobre fé ou acreditar na possibilidade de mudança. Achei extremamente importante, no seu caso teísta no meu ateísta. Obrigado pelo respeito e conselhos !

    Responder
    1. Eu Sei Aprender

      Opa Daniel, tudo tranquilo?

      Obrigado por comentar. Esse ponto que você destacou, sobre acreditar que a mudança é possível, é sem sombra de dúvida, um dos mais importantes. Ninguém deve começar uma jornada sem acreditar antes que é possível chegar ao seu final, mesmo sabendo que as chances não são boas; por isso, também é essencial a pessoa analisar a capacidade, aliados, etc.

      Tudo de bom pra você, meu amigo!

      Responder
    1. Eu Sei Aprender

      Opa Luiz, tudo certo? Espero que te ajude. Obrigado pela visita e comentário. Sucesso!

      Responder

Olá! O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *