Como deixar sua memória de longo prazo afiada

Percebo que muitas pessoas não sabem como melhorar a memória e por isso, deixam de aproveitar todo o seu potencial.

Eu também não sabia nada sobre memória, nada além do que foi ensinado na escola, ou seja, ter que estudar muito para conseguir memorizar bem.

Esquecia facilmente o conteúdo para prova. Já adulto, tinha muita dificuldade como várias pessoas têm para guardar nomes e rostos.

E para lembrar do número de telefone? Isso era impossível. Conseguia guardar apenas dois ou três números.

Desse jeito, a gente costuma acreditar que têm problema na memória, ou que têm memória fraca. Você já se sentiu assim?

É fato que muitas pessoas tentam, mas acabam se perdendo com muitas informações e descobrindo depois de tentar várias e várias vezes que o método é ineficiente.

Reconhecendo essa dificuldade que senti na pele, ao longo dos próximos parágrafos vou passar algumas dicas incríveis para você sobre como melhorar a memória de longo prazo.

Hoje, consigo ver claramente que essas dicas foram indispensáveis para transformar e aprimorar a minha memória rápido.

Porque é melhorando a memória de longo prazo que você pode fazer a diferença nos estudos, no trabalho e no dia a dia.

Então se você quer saber como melhorar a memória, continue lendo este artigo. Nele você vai aprender mais sobre:

Como melhorar a memória: o que todo mundo deveria saber antes de começar

como-melhorar-a-memoria-01

Ninguém pode fazer você querer melhorar a memória. O “eu quero” depende unicamente de você.

Por isso, antes de começar a aprender como melhorar a memória você precisa responder a seguinte pergunta:

Qual é o seu maior motivo para querer aperfeiçoar a memória?

Algumas pessoas querem lembrar as informações para uma apresentação no trabalho, já outras, melhorar a memória para passar numa prova.

Esse motivo é muito importante, pois ele será o combustível para querer melhorar e, você, precisa querer melhorar a memória para torná-la melhor.

E quando você “quer”, irá prestar atenção com mais dedicação e interesse pelas coisas que lê, vê e ouve.

“…Sem atenção sincera a memória não existe, pois a memória é fruto do interesse. Quanto mais interesse você tem por uma coisa mais facilmente você vai guardá-la na memória e se você não se interessa é uma estupidez tentar memorizá-la. A memória é seletiva e é o primeiro princípio de estruturação do conhecimento adquirido…” ~ Olavo de Carvalho

Uma vez que é com concentração total que todo processo de memorização vitorioso tem início.

Sem o desejo de mudar, todo o potencial da sua memória continuará adormecido. Em vista disso, tome algumas decisões antes de continuar:

  1. Escreva numa folha de papel a respeito do que você quer mudar e por qual(is) motivo(s).
  2. Faça uma única coisa de cada vez e sempre a mais importante primeiro, isso aumentará seu poder de foco.
  3. Crie um plano de ação para ter uma visão geral do seu caminho até atingir seu objetivo.
  4. Trabalhe o poder do efeito composto, isto é, crie (ou mude) pequenos hábitos que somados causam uma grande mudança, ao invés de tentar mudar radicalmente as coisas.
  5. Pense no processo e não no resultado, uma grande tarefa pode ser realizada mais facilmente quando dividida em pequenas etapas com foco total.

Além da motivação, existem mais dois elementos fundamentais que você precisa conhecer e aplicar juntamente com as dicas que vai aprender sobre como melhorar a memória.

Imaginação e Associação: os pilares das técnicas de memorização mais eficientes

como-melhorar-a-memoria-02

Não é de hoje que se fala em imaginação e sua importância no processo de criação e inovação.

Albert Einstein, um dos maiores gênios da humanidade já sabia disso:

“… A imaginação é mais importante que o conhecimento. O conhecimento é limitado, enquanto a imaginação engloba o mundo inteiro, estimulando o progresso, dando origem à evolução…”

Na memorização, a imaginação é um dos elementos principais.

Desde os tempos da Grécia antiga, senadores e grandes oradores já reconheciam sua importância para ter uma memória prodigiosa.

E, hoje em dia, diversos especialistas usam truques de memória que exploram profundamente a imaginação.

Conclusão: quanto mais você se dedicar a imaginação, mais vai impulsionar sua capacidade de memorização.

O outro pilar é a associação da informação com uma memorável imagem mental.

É através da utilização correta da imaginação e associação que melhor e mais ágil será a retenção e recordação das informações.

Mais adiante veremos algumas dicas eficazes sobre o modo correto de usar a imaginação e associação, por enquanto, saiba que:

  • A imaginação é ilimitada.
  • A imaginação desperta os sentidos e, consequentemente, o cérebro.
  • Por ser ilimitada, a imaginação nos ajuda a reter novos aprendizados e experiências com mais clareza.
  • Para localizar e recordar uma informação na memória rapidamente, o melhor jeito é associá-la a uma vívida imagem mental.
  • Imagens são mais significativas para o nosso cérebro, pois se conectam diretamente aos centros visuoespaciais no lado direito.
  • As imagens ajudam a “empacotar” conceitos ou ideias aparentemente complexas e de difícil lembrança.

Não tenha dúvidas de que a imaginação e a associação são fundamentais para aumentar o poder de sua memória.

Como melhorar a memória de forma garantida sem o emprego da imaginação e associação não é possível, portanto, use sempre esses dois pilares.

O próximo passo, é saber como são formadas as memórias para guardá-las sem que ocorra esquecimentos ou o famoso “branco”.

Como melhorar a memória: a formação de novas memórias e por que perdemos algumas lembranças

Pense numa coisa muito boa que já aconteceu com você.

Pensou?

Agora tente se lembrar do que almoçou há duas semanas.

E aí, conseguiu?

Bom, é bem provável que a segunda memória não é tão forte quanto a primeira. Talvez, você não conseguiu se lembrar.

Mas por que isso aconteceu? Por que conseguimos nos lembrar de algumas coisas e outras parecem desaparecer completamente da memória?

Antes de responder essas perguntas, vamos primeiro entender como nossas lembranças são formadas. Pode confiar, é bom conhecer isso antes de saber como melhorar a memória.

Como as memórias de longo prazo são formadas

Quando você executa uma ação, por exemplo, de considerar o nome de uma pessoa, essa ação é transformada em um impulso elétrico que caminha no seu cérebro por uma rede de neurônios.

como-melhorar-a-memoria-03

Essa informação, primeiro fixa-se na memória de curto prazo e fica disponível até 24 ou 48 horas.

Conforme o seu interesse pela informação, ela é transferida para a memória de longo prazo por meio de regiões como o hipocampo e, em seguida, para outras regiões cerebrais.

como-melhorar-a-memoria-08

Através de sinapses os neurônios se comunicam e quando a comunicação entre dois neurônios é feita repetidamente, algo fantástico acontece:

a eficácia da comunicação aumenta intensamente, isto é, tem-se uma potenciação a longo prazo.

Enfim, esse sistema é considerado o responsável pela formação de memórias de longo prazo.

Se você quiser saber mais sobre como tornar esse processo de formação de novas memórias altamente eficaz, leia esse artigo aqui.

Como perdemos nossas lembranças (ou esquecemos das coisas)?

Nossa memória pode ser afetada por diversos fatores. Os mais comuns são:

  • Idade: com o envelhecimento as sinapses começam a enfraquecer, prejudicando a recuperação de nossas lembranças.
  • Falta de atenção: a recordação das informações dificilmente vai ocorrer se não tivermos extremamente interessados e se não forem importantes. A falta de atenção é um dos principais fatores que afetam a memória em crianças, jovens e adultos.
  • Estresse crônico: o estresse crônico é quando estamos constantemente sobrecarregados de trabalho ou responsabilidades ao ponto do corpo ser inundado pela liberação de substâncias químicas, causando a perda de células cerebrais com incapacidade de produzir novas, o que afeta nossa capacidade de reter novas informações.
  • Depressão: estudos confirmam que há 40% de probabilidade de pessoas deprimidas desenvolverem problemas de memória. O isolamento, ligado à depressão, também é um “ladrão” de memória.

Mas fique tranquilo, é possível retardar e até mesmo evitar a maioria desses fatores que prejudicam nossa memória.

Assim como um músculo, nosso cérebro também precisa de atividades, caso contrário, seu enfraquecimento prejudicará imensamente o resgate de nossas lembranças.

Ainda bem que há muitas formas de ajudar e manter o cérebro saudável para preservar as informações. Veja a seguir.

Como ajudar seu cérebro a conservar lembranças

A memória faz parte de todo o sistema de transmissão e recepção de dados que o seu cérebro comanda.

Na verdade, esse sistema mais poderoso do que qualquer computador já criado é o próprio cérebro.

como-melhorar-a-memoria-04

Em razão disso para melhorar a sua memória, seu cérebro precisa estar minimamente saudável, algumas precauções que você poder tomar são:

  • Mantenha-se fisicamente ativo. Não precisa levar isso ao extremo, mas pratique exercícios físicos regularmente, eles aumentam o fluxo sanguíneo para o cérebro.
  • Cuide da sua alimentação. Seu cérebro precisa de todos os nutrientes essenciais para um bom funcionamento.
  • Exercite seu cérebro. O cérebro também precisa de exercícios exclusivos como desafios de raciocínio lógico, xadrez e outros jogos. Também procure por novos aprendizados, por exemplo, aprender um novo idioma, pintura, etc.
  • Aprecie sua memória. Há muitas pessoas que têm uma visão negativa a respeito da própria memória, nesse caso, o ideal é se esforçar para substituir tais pensamentos negativos por outros positivos, pois nossa memória é magnífica. Ou você já se esqueceu que possui um “depósito” inesgotável de informações?

Com um cérebro vigoroso é possível estimular e expandir ao máximo sua capacidade de memorização.

Para tanto, você só precisa focar em melhorar a memória de longo prazo utilizando métodos de memorização testados e aprovados.

Quer saber como?

Como melhorar a memória: 8 dicas úteis para carimbar as informações na mente

como-melhorar-a-memoria-11

O maior desafio em como melhorar a memória de longo prazo está em aprender a reter informações, de tal modo, que sejam recuperáveis com precisão e rapidez.

E isso é o que todos buscam a cada momento, pois se trata de uma grande vantagem para qualquer pessoa em relação aos demais.

Mas para que a informação fique retida na memória de longo prazo e seja acessada facilmente pelo tempo que for necessário, ela precisa de cuidados.

Cuidar da informação quer dizer que:

  • Ela precisa de sua atenção por todo o período em que será usada.
  • Que o seu cérebro reconheça que ela é interessante, importante e significativa.
  • Todos os sentidos devem ser estimulados para intensificar a fixação na memória.

Para isso, podemos usar excelentes estratégias que funcionam muito bem para melhorar a memória de longo prazo:

Tudo começa com uma observação minuciosa

Toda memória começa com a observação, através da visão, da audição, do tato, do olfato e paladar.

como-melhorar-a-memoria-05

E uma das maneiras garantidas de melhorar a sua memória é ser mais observador. É aqui que todo o processo de como melhorar a memória tem início na prática, claro que sem deixar para trás as dicas anteriores.

Para se tornar mais observador você deve usar o máximo de sentidos a fim de reunir a maior quantidade possível de dados sensoriais durante o reconhecimento da experiência.

Isso porque a observação cuidadosa exerce influência sobre o processo de fixação e também quando precisamos retomar as informações.

Quanto mais vívida, clara e significativa for essa experiência, melhor será para relembrar depois.

Para viver uma experiência memorável é preciso ter em mente que a observação deve ser um processo ativo (tem que estar verdadeiramente atento).

É preciso reconhecer, comparar, questionar, investigar e sentir intensamente aquilo que se deseja memorizar a longo prazo.

Por exemplo, através de uma observação apurada você pode lembrar de nomes e rostos naturalmente.

Como lembrar de nomes e rostos

Esquecer um nome ou um rosto é muito fácil na correria do dia a dia.

Geralmente, as pessoas fazem uma rápida apresentação de nomes, uma breve troca de olhares e segue a conversa.

Poucos minutos depois, é possível que os nomes tenham sido esquecidos, mas a fisionomia é provável que permaneça um pouco mais de tempo na memória, após o fim da conversa.

Nesse ponto é que se encontra a dificuldade da maioria das pessoas: lembram do rosto, mas não do nome.

Se você já passou por situação semelhante, embaraçosa e até vergonhosa, então é hora de aprender a como lembrar de nomes e rostos:

  1. Acalme seus pensamentos e relaxe. Há pessoas que ficam nervosas pelo fato de conhecer gente nova ou acreditam não ter um boa memória, se este for o seu caso, procure preparar sua mente antes: acredite que possui uma ótima memória e use técnicas de relaxamento como respiração profunda, meditação ou orações. O importante é trazer a consciência para o aqui e agora. Quanto mais acreditar em si mesmo, mais tranquilo ficará e seus resultados serão ainda melhores.
  2. Olhe e veja com atenção. Diversos estudos já mostraram que a memória funciona melhor com imagens, aliás, a primeira impressão é a que fica, não é mesmo? Por isso, olhe seu interlocutor nos olhos. Repare no rosto algum traço fisionômico marcante que chame sua atenção. Quanto mais detalhes você observar, mais lembranças terá da fisionomia da pessoa.
  3. Escute com atenção. Se você quer gravar o nome da pessoa na memória tem que ouvir com atenção. Além do mais, segundo Dale Carnegie no seu famoso livro Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas, ser um bom ouvinte, incitando os outros a falar sobre eles mesmos é uma ótima maneira de fazer as pessoas gostarem de você.
  4. Repita o nome. Sempre que possível, durante a conversa repita o nome da pessoa. Isso pode ser feito logo no início das apresentações e no decorrer da conversa. Faça de modo educado e sempre interessado no assunto. Ao se despedir da pessoa, repita seu nome novamente.

Se quiser conhecer a dica mais incrível que já vi para lembrar nomes, clique aqui.

Associando o nome ao rosto da pessoa

De nada adianta memorizar vários nomes e não conseguir associar cada um deles aos seus respectivos rostos, não é mesmo?

Então, separei algumas dicas importantes para você começar a usar:

  • Analise o rosto da pessoa e veja se há algum detalhe que possa lembrar o nome. Sempre com discrição.
  • Veja se consegue estabelecer alguma associação física. É preciso notar alguma característica importante para poder associar e usar a imaginação no processo de memorização.

Por exemplo, se o Marcos tiver grandes entradas no cabelo, isso parece a letra M. Olhando para o rosto do Pedro, você vê uma pinta (letra P).

  • Você também pode associar o nome da pessoa a outro nome que você já conhece, que seja um nome semelhante. Fazendo isso, você associa o nome a algo que é importante para você, que se encontra na memória de longo prazo.

Por exemplo, no tempo em que fui militar, alguns colegas de farda tinham dificuldade para guardar o meu nome e até mesmo pronunciar, por incrível que pareça. Mas um sargento em tom de brincadeira, passou a associar o meu nome ao do ex-piloto de fórmula 1, Thierry Boutsen. Desse modo nunca mais esqueceram!

Experimente algumas dessas dicas ao encontrar pessoas cujos nomes você ainda não sabe. Pergunte o nome e aplique uma dessas dicas para se lembrar.

E você também pode criar sua própria estratégia e melhorá-la aos poucos.

A importância e a utilidade prática do assunto

Tudo o que é importante para nós prende nossa atenção com mais força.

Por exemplo, quando o professor durante a aula diz que o assunto vai cair na prova você dá mais importância, não é?

Faz um asterisco, sublinha ou circula e logo em seguida encontra uma forma de memorizá-lo. Você diz a si mesmo que precisa aprender porque vai cair na prova!

Como o assunto era importante para você, seu cérebro simplesmente obedeceu a ordem que foi dada, ou seja, memoriza essa informação na memória de longo prazo (até a data da prova).

Portanto, toda vez que precisar guardar uma informação, seja para estudo ou profissionalmente você deve reconhecer a importância dessa informação.

Pergunte-se:

Qual a importância ou para que serve esse assunto?

Assim seu cérebro será informado sobre o uso da informação no futuro.

Porém, se você não usá-la algumas vezes, mesmo reconhecendo sua importância no futuro, dificilmente se lembrará.

Sendo assim não limite sua aprendizagem aos livros, vá um pouco mais além. Visto que a melhor forma de jamais esquecer uma coisa é através da execução e utilização.

O Poder das imagens para despertar a memória

Por que tiramos tantas fotos?

Fotos são imagens e a verdade é que imagens, na maioria dos casos, são muito mais eficientes para comunicar algo.

Seja uma selfie durante o almoço com os amigos ou uma foto da bela paisagem natural e mesmo depois de vários dias, as sensações desses momentos, podem ser relembradas.

Para isso basta olhar para tais imagens. É incrível, a informação visual é muito mais rica do que um texto e até a ciência já comprovou isso.

Pesquisadores da Universidade de Iowa, EUA, em um estudo, testaram mais de mil estudantes quanto à capacidade de recordar estímulos sonoros, visuais e táteis.

Os estímulos sonoros foram lembrados com menos facilidade, já os visuais e táteis igualmente com mais facilidade.

Especialistas afirmam que uma imagem é importante para a memória, pois é que as imagens se conectam diretamente aos centros visuoespaciais no lado direito do cérebro.

Imagens ajudam a “embalar” conceitos, representar ideias que são mais fáceis de relembrar do que simplesmente na forma de texto.

como-melhorar-a-memoria-05

Para começar a utilizar imagens como gatilhos que despertam a sua memória experimente formar uma imagem visual representando um item que você quer memorizar.

A professora Barbara Oakley, Ph.D., em seu livro “Aprendendo a Aprender”, ensina uma forma bem divertida para se lembrar da fórmula da segunda lei de Newton:

F = m.a (força, massa e aceleração).

O F na fórmula pode ser de fabulosa, o M de mula, e o A de aérea.

Agora, feche os olhos e visualize uma mula vestida com roupa de aviador (com óculos e tudo mais!) e voando como o superman. Depois, tente fazer um desenho dessa imagem.

Nessa associação de imagens e palavras, as imagens devem funcionar como ganchos para resgatar os itens que você deseja lembrar.

Outro exemplo está relacionado aos meses do ano.

Quando criança, aprendi a memorizar os meses do ano que tem 31 dias utilizando as elevações das articulações dos dedos das mãos.

como-melhorar-a-memoria-09

E pode acreditar, é um truque de memória simples e criativo que não demora mais de 10 segundos para aprender.

As imagens também funcionam como ótimos ganchos para nos lembrar de números.

Como exemplo, abaixo associo o número 2 a um cisne, o número 4 a um barco a vela e o número 8 a um urso panda.

como-melhorar-a-memoria-10

Perceba que uma imagem é muito mais do que uma simples figura.

Ela é um recurso poderoso para estimular a imaginação e estabelecer novas conexões cerebrais fazendo uso de informações que já conhecemos.

Comece por treinar sua mente na arte da visualização para criar suas próprias imagens mentais.

Se usada de forma correta, ela facilita o despertar da memória para aquilo que devemos relembrar.

Revisão: repetições e prática para nunca mais esquecer

Durante o século XIX, Hermann Ebbinghaus, um psicólogo alemão, iniciou as primeiras pesquisas sobre memória e tempo de retenção.

Suas contribuições serviram para alicerçar e desenvolver novas técnicas em toda trajetória, percorrida até aqui, em como melhorar a memória.

Dentre muitos experimentos que realizou, ele acabou descobrindo uma das poucas certezas da neurociência, a saber:

todas as nossas memórias ficam mais fracas com o passar do tempo, mas que essa taxa de “esquecimento” diminui cada vez que você revisa a informação.

A relação entre retenção e tempo poder ser observada no gráfico conhecido por curva do esquecimento.

como-melhorar-a-memoria-forgetting-curve

Observe que, em média, 90% da informação retida na memória pode ser perdida durante os primeiros 30 dias após a retenção.

Isso ajuda a entender um pouco por que não lembramos de quase nada da matéria de uma prova dias após a sua realização.

Geralmente, estudamos intensamente durante a semana da prova e depois, não revisamos mais o conteúdo, a não ser, quando necessário.

Embora existam diversos fatores que podem influenciar a retenção para mais ou para menos dias, a verdade é que, toda informação que não é revisada pode ser esquecida.

Mas ao realizar revisões periodicamente você mantém a informação viva na memória.

Então, como fazer revisões para que as informações adquiridas não caem no esquecimento? Veja algumas dicas úteis:

  • Revisão não é ler página por página novamente, isso você faz no seu primeiro contato com o assunto. Não o faça novamente, é totalmente ineficaz. Faça a primeira leitura com a máxima atenção.
  • A revisão deve ser somente para conteúdo selecionado. Faça resumos dos pontos essenciais quando a matéria for muita extensa ou se tiver várias disciplinas. Não coloque todo o conteúdo no seu resumo, do contrário virará uma segunda leitura.
  • Para fazer bons resumos e melhorar a fase de revisão, o ideal é que o primeiro contato com o assunto (leitura inicial) seja feito já pensando na fase de revisão. Deve-se considerar e selecionar o que é importante para a finalidade da aprendizagem.
  • Faça revisões diárias, depois passe para semanais, em seguida mensais e por fim, anuais. Conforme a necessidade.
  • Não somente leia o conteúdo, mas faça revisões utilizando exercícios práticos. Falaremos mais adiante sobre isso.
  • Já ouviu falar em flahscards? Eles ajudam muito na revisão, pois permitem uma rápida visualização das informações.
  • Organize as informações utilizando mapas mentais ao invés de escrever em linha ou uma embaixo da outra (em lista). Nosso cérebro, armazena informações com disposição semelhante a uma árvore e por padrão e associação. Com o uso de mapas mentais você estará organizando com o próprio método de memória do cérebro, o que torna o aprendizado mais rápido.
  • Revisão é algo que deve levar menos tempo do que o tempo que você utilizou para aprender todas as informações essenciais no início do estudo.

A medida que você revisar o conteúdo, vai perceber que aprenderá mais em menos tempo, pois a cada revisão, as informações ficam mais tempo grudadas na memória.

Realizando testes continuamente, ou melhor, testando a si mesmo

Como foi mencionado acima, uma revisão passiva das informações é ineficaz. Não adianta, na revisão, ficar relendo o assunto.

Tal prática não te ajuda a recuperar as informações na memória por não exigir o mínimo esforço na criação de novas conexões neurais.

Seu cérebro não irá reconhecer o valor que a informação pode ter para o futuro e sua mente criará o hábito, nada saudável, de ler o assunto toda vez que precisar recordar algum ponto.

Mas uma poderosa forma de fortalecer as informações na memória é testar a si mesmo continuamente.

“Há uma diferença entre conhecer o caminho e percorrer o caminho.” ~ Morpheus – Filme Matrix

Testar seus conhecimentos ajuda no redescobrimento das informações armazenadas na memória inicialmente e é inevitável para impulsionar a sua jornada em como melhorar a memória.

Quando somos constantemente testados em situações que exijam maior esforço mental ou físico, nossa capacidade de realizar a tarefa com excelência também evolui gradualmente.

Observe os exemplos nos esportes. Os treinadores sempre procuram exigir o máximo dos atletas nos treinos.

E você pode criar todo tipo de testes para exercitar sua memória ao extremo, por exemplo:

  • Exercícios de múltipla escolha.
  • Questões discursivas. São as melhores, desde que criadas e respondidas por si mesmo.
  • Redação.
  • Simulados.
  • Se tiver entre amigos, pode realizar uma disputa saudável.
  • Jogos.
  • Paródias.
  • Rimas.
  • Apresentações.
  • Dar aula.
  • Desafios diversos.

A memorização eficaz ocorre quando vivenciamos com energia e dedicação o conhecimento obtido através das informações.

Histórias: aumentam o interesse, melhoram a compreensão e facilitam a memorização

Sir Isaac Newton usou uma história para explicar a gravidade. A história da maçã. Sim, um conceito complexo explicado de uma forma bem simples.

Da mesma forma vários educadores de renome utilizam narrativas para ensinar seus alunos.

Tão antiga quanto a escrita, as histórias fazem parte de nossas vidas.

Foram usadas – e ainda são – pelos povos para transmitir os costumes e ensinamentos que moldaram o modo de viver como conhecemos hoje.

As histórias contextualizam os fatos, organizam e relacionam as informações de tal modo que o interesse aumenta, a concentração melhora e relembramos espontaneamente.

Se você deseja memorizar qualquer informação, possível de ser inserida numa história, essa é uma maneira incrivelmente simples, agradável e que vale a pena usar.

Leis, receitas, momentos históricos, listas entre outros dados podem fazer parte de uma história construída com um pouco de criatividade.

Suponha que você precise se lembrar dos nomes das capitais da região norte do Brasil:

como-melhorar-a-memoria-07

Rio Branco (AC), Macapá (AP), Manaus (AM), Belém (PA), Porto Velho (RO), Boa Vista (RR) e Palmas (TO).

Vamos criar uma pequena narrativa envolvendo essa lista de palavras.

Podemos utilizar imagens exageradas e engraçadas e a história não precisa ser algo considerado “normal”, não há problema algum em ser uma história digamos, ridícula.

O extraordinário, o incomum, tornam as informações especiais para o cérebro, portanto, não fique preso a padrões preestabelecidos.

Também, nesse caso, não há necessidade de colocar as palavras na ordem em que foram apresentadas:

De pé estava o senhor RIO BRANCO, de barba grande e grisalha fumando seu cachimbo apoiado em sua bengala no alto da torre de BELÉM.

Ele estava observando o movimento dos navios no PORTO VELHO da cidade, pois dali, daquela torre, tinha-se um BOA VISTA de todo o local.

Dava para ver atracando no porto, uma canoa com alguns índios da tribo MANAUSudos.

O cacique MACAPÁ estava sentado fumando seu cachimbo com semblante sereno usando seu grande cocar formado de belas penas vermelhas e brancas.

No cais do porto, outros índios dançavam e batiam PALMAS ao som dos tambores para recepcionar o grande chefe.

Veja como as palavras-chave – em maiúsculo – foram inseridas na história.

Você decide como serão os personagens, os locais e a inserção das informações que deseja memorizar.

E caso você queira participar da história não há problema algum, pelo contrário, seu toque pessoal cria “âncoras” que ajudam ainda mais a melhorar a lembrança.

Aliás, na excelente técnica palácio da memória você participa de todo o processo como personagem, ou melhor, você é o protagonista.

Essa é uma das minhas técnicas de memorização preferida!

Com sentido ou sem sentido e quanto mais você personalizar conectando com algo da sua vida, com os eventos do dia a dia, mais efetiva será a fixação da sua história na memória.

Conte uma história sobre aquilo que você quer guardar na memória. Essa é uma ótima resposta para aqueles que perguntam como melhorar a memória.

Conclusão: a memória é fundamental para estruturar o conhecimento adquirido

Como melhorar a memória não é nada impossível de se fazer, espero que você tenha entendido bem isso.

É claro que para desenvolver habilidades específicas, cuja maioria das pessoas nem sonham em possuir, você precisará de mais zelo, empenho e ânimo.

Você não pode querer novas conquistas se não estiver disposto a pagar o preço e o preço, nem sempre será em dinheiro.

Melhores resultados podem ser alcançados rapidamente com a prática diária das dicas acima.

Acredite, sem uma memória organizada, relembrar informações que podem tornar a sua vida melhor será cada vez mais difícil.

5 Comentários

  1. Avatar

    Gostei do post e recomento a leitura, deste artigo, para todos, pois com certeza vai ajudar muita gente e desde já deixo meus parabéns e meu muito obrigado.

    Responder
    1. Eu Sei Aprender

      Opa Douglas, tudo na paz?

      Olha, obrigado pelo comentário. Fico feliz que está sendo útil.

      Forte abraço!

      Responder
    1. Eu Sei Aprender

      Oi Edite, beleza?

      Fico feliz que tenha gostado. Agora é só colocar em prática!

      Precisando… comente.

      Tudo de bom.

      Responder
  2. Thieres Machado

    Fontes de consulta:

    https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2012/jan/15/memory-games-brain-training-test
    https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2012/jan/15/pay-attention-people-faces
    https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2012/jan/15/story-lines-facts
    https://www.mindtools.com/pages/article/newTIM_01.htm
    https://www.youtube.com/watch?v=yOgAbKJGrTA
    https://www.youtube.com/watch?v=BONW4sFP-EU&t=23s
    – Livro “Memória Brilhante” – Tony Buzan
    – Livro “Aumente o Poder de sua Memória” – Donal Weiss
    – Livro “Aprendendo a Aprender” – Barbara Oakley, Ph.D.
    – Livro “Como Passar em Provas e Concursos” – William Douglas
    – Livro “Revolucionando o Aprendizado” – Gordon Dryden e Jeannette Vos

    Imagens créditos:

    https://pixabay.com/
    http://www.flaticon.com/
    http://www.flaticon.com/free-icon/idea_401654#term=knowledge&page=1&position=46
    http://www.flaticon.com/free-icon/podium_427851#term=best&page=1&position=26

    Responder

Olá! O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *